Egito e os porcos

24 setembro, 19:07

Porcos não são muito bem quistos pelos egípcios.
Num país onde mais de noventa por cento da população é muçulmana isso faz sentido. Para esse grupo, se associar a porcos é condenar a sua alma ao mármore do inferno (ou o equivalente islâmico ao poço de enxofre para onde as almas impuras vão).
É possível até arrancar o seu espírito diretamente do paraíso e jogá-lo num caldeirão fervente de maldade e vilania apenas colocando uma fatia de lombinho em contato com o seu corpo já desbastado pela putrefação.
Ou pelo menos foi isso que eu ouvi. De um cristão, o que pode invalidar toda a estória com base em puro preconceito.
Mas estou me afastando do ponto que quero passar.

O ódio aos porcos movidos pela religião foi o estopim de uma semicatástrofe que pelo visto irá mudar de patamar -se tornando uma total catástrofe- muito brevemente.

Ignorando todos os conselhos científicos -não surpreendentemente, pois se trata de um governo regido e guiado por interesses religiosos- que afirmam que só há transmissão entre espécies em casos extremos, ao primeiro sinal da Gripe Suína, o governo do Egito ordenou que todos os porcos do país fossem eliminados o quanto antes.
E assim foi feito.

Talvez por viverem tão apegados ao passado -mais um característica básica de uma religião milenar- eles falharam em enxergar o futuro e agora o país está coberto “até o meio da canela” de lixo.

A minoria cristã -que não só não se incomoda com porcos como até faz certa questão em tê-los por perto devido à facilidade em criá-los para consumo- que era dona de todos os porcos egípcios é também a totalidade do grupo social responsável pela coleta do lixo, que era devidamente “processado” por estômagos suínos.
Mas o preconceito religioso falou -como de costume- bem mais alto que a razoabilidade e a lógica.
Retirar os porcos do Egito seria como desmontar os caminhões de lixo do mundo ocidental.

O Governo até tem uma frota de lixeiros contratados, mas eles são extremamente desorganizados e ineficientes -resultado do costume de ver os “independentes” realizando todo o trabalho por eles- e simplesmente não dão conta da limpeza.
Os verdadeiros coletores estão todos mortos e seus donos desamparados, pois perderam ao mesmo tempo seu ganha-pão e seu pão.

E nós sabemos o que o acúmulo de lixo nas ruas causa, não é mesmo?
Gripe suína vai ser a menor das preocupações daquela população nos próximos meses.

Anúncios

4 Respostas to “Egito e os porcos”

  1. guilhermeatencio Says:

    E mais uma vez a religião atrapalha o bom-senso…

  2. Enik Says:

    Minha única esperança é que alguma mutação adaptada que venha a sobreviver não seja herdeira genética desses que deliram sobre a realidade.

  3. Igor Santos Says:

    Acho difícil! O gene da estupidez é muito bem distribuído.


  4. […] mesmo uma minoria sem porcos consegue atear fogo a uma cidade, revertendo o […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: