E.T. fala mesmo?

16 outubro, 14:23

Antes de ir dormir ontem eu li um relatório das agências de busca por vida extra-terrestre onde elas mostram como podem ter certeza de que o sinal captado semana passada é realmente uma espécie de comunicação, quase certamente uma linguagem.

Eles demonstram como a relação Diversidade x Frequência pode ser usada para confirmar o uso de comunicação.
Por exemplo: só diversidade não diz nada. Sinais que repetem muito pouco (ou nunca) são apenas aleatórios, como os emitidos por pulsares.
Frequência sozinha também não é grande coisa, pois um sinal simples repetido um milhão de vezes não comunica nada.
Num gráfico com Frequência num eixo e Diversidade no outro, comunicação (ou linguagem mais especificamente) é caracterizada por uma linha mais ou menos a quarenta e cinco graus de inclinação, pois as duas “grandezas” são proporcionais e o número de palavras (ou sinais) é tão grande quanto o número de vezes que elas são proferidas.

Isso é válido para humanos, baleias, cachorros, lagartos, borboletas e até algumas plantas.

Eu estou em casa às duas da tarde escrevendo isto porque, ao ouvir uma conversa sobre os ET’s no restaurante onde almoço, me meti e fui tentar explicar isso para um dos clientes.
Ele começou a esbravejar dizendo que não podem existir seres fora deste mundo porque a religião dele diz isso e que animais nunca podem ser comparados com humanos por motivos semelhantes.

Insistentemente, tentei argumentar que todos nós terráqueos somos parentes uns dos outros e igualmente evoluídos, mas antes de conseguir explicar que essa suposição de comunicação extrapolada serviria também para seres de outros planetas, fui violentamente atacado a socos e pontapés.

O louco que pulou em cima de mim não era o sujeito com o qual eu discutia, mas um que eu sequer havia notado mas que estava acompanhando a nossa conversa.
O único aviso que ele deu antes de me agredir foi um grito de “matem o herege!“.

Por sorte, nem o meu interlocutor era tão fervoroso em suas crenças e me ajudou a me livrar do meu atacante, que precisou ser contido por três pessoas, enquanto eu sangrava pelo nariz e boca e me encolhia no chão sem ar devido a um pontapé no estômago.

O médico do hospital que me atendeu recomendou que eu ficasse alguns dias sem trabalhar, pois tive o indicador da mão direita quebrado enquanto os outros dedos estão todos luxados.
Acho que vou ficar alguns dias sem digitar também, pois este exercício me está causando imensa dor.

Pelo menos agora eu aprendo a ficar calado.

Anúncios

4 Respostas to “E.T. fala mesmo?”


  1. […] Outubro, 09:04 Minha mão ainda dói muito, mas eu precisava escrever sobre isso, então aqui […]

  2. Blog Mallmal Says:

    É verdade essa história?


  3. […] eu ia voltar ao trabalho mas me ligaram dizendo que não fosse porque não ia ter expediente porque vários computadores já […]


  4. […] amanhã depois do trabalho já começo a maquiagem. Vou caprichar! Só é uma pena que o sangue da surra que levei já foi lavado, senão seria perfeito. Sangue de […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: