agredido mais uma vez

17 fevereiro, 17:20

um mes e meio apos ter sido brutalmente agredido por marginais na rua onde moro, fui novamente atacado, mas por um motivo diferente.

sabado pela manha -dia 6- eu acordei cedo porque precisava resolver um problema com minhas passagens para o carnaval (meu destino era brasilia) e, por incrivel que pareça, estava de volta em casa as nove e pouco com tudo pronto, entao resolvi ir a praia aproveitar o pouco de sol que fazia e quem sabe ate comer uns caranguejos.

o transito estava muito bom e o onibus passou logo, entao cheguei la pouco depois das dez e fui direto para a minha barraca favorita, quando começou a chover muito forte.
por causa da ameaça de chuva desde o dia anterior, a praia estava praticamente deserta e achei que conseguiria ficar sossegado por algum tempo, mas me enganei redondamente.

ja tinha bebido minha primeira cerveja e comido dois caranguejos quando escuto alguem gritar meu nome.
meu primeiro grande engano naquela manhã foi olhar.

alguns de voces devem saber que eu escrevo -ou tento escrever- um blogue gastronomico onde, recentemente, uma discussão virtual surgiu pois falei mal de um lugar onde fui muito maltratado e os donos acharam ruim e passaram a me xingar e ate me ameaçar via comentarios no artigo.
a voz que ouvi me chamando era do filho dos donos.
e ele nao estava sozinho.

ele me reconheceu pela foto que estampa o blogue -e confirmou quem eu era quando eu me virei em direção ao som do meu nome- e, como estava acompanhado de mais seis amigos, achou que deveria me enfrentar naquela praia semideserta.
chegou falando alto, me xingando -praticamente com as mesmas palavras que usou em seus comentários no blogue- e dizendo que eu não sabia o que era boa comida.
meu segundo engano da manha foi defender meu ponto de vista.

como a maioria dos ‘xingamentos’ que ele usou para tentar me atacar eram palavras descritivas -nordestino, preto, gordo- eu cai na besteira de começar minha defesa agredecendo pelo uso das palavras corretas para me descrever e continuei chamando atençao para o fato de que ele era um imbecil que nao sabia a primeira coisa sobre atendimento e qualidade e que o restaurantezinho mediocre da mae dele deveria ir a falencia.

como todo ‘valente de gangue’ ele tambem nao sabe interpretar a lingua portuguesa e perguntou se eu estava chamando a mae dele de mediocre.
meu terceiro erro da manha foi dizer que nao, mas ja que ele havia chamado atençao para aquilo, eu poderia mudar de ideia.

apos mais uma troca acalorada de insultos ele me empurrou e eu descobri o oitavo componente da gangue que naquele momento me segurou por tras.
eu nao sou pequeno e sei me defender ate certo ponto, entao consegui acertar uns dois ou tres chutes nos primeiros que avançaram mas nao tinha a menor chance contra oito marombados recem injetados -violencia desse tipo em pessoas daquele tamanho nao brota naturalmente- e logo me acertaram os primeiros golpes.

quando eu ja nao conseguia me manter em pe sozinho, o covarde que me imobilizou por tras me deixou cair na areia e houve um curto periodo de calma, enquanto o playboyzinho filho dos donos do restaurante dizia o que eles deveriam fazer a partir daquele momento; [sic] ‘quebrem os dedos deles pra ele nao poder mais falar mal de quem ele nao conhece.’

a dor foi tao insuportavel que eu desmaiei pouco depois de ouvir meus ossos da mao esquerda quebrando.
acordei alguns minutos depois com agua gelada na cara, sendo socorrido pelo barraqueiro -que por sorte eh meu amigo- e pedi que ele ligasse do meu celular para a ambulancia.
dez minutos depois eu estava mais uma vez a caminho do hospital com luxaçoes por todo o corpo, o nariz quebrado, suspeita de hemorragia interna e ambas as maos inutilizadas.

voltei para a morfina porque nada dava jeito na minha dor e só ontem de tarde -dez dias depois- consegui coragem de tentar digitar usando apenas o dedao da mao direita, unico dedo que saiu ileso.
por estar digitando com apenas um dedo -um processo extremamente lento e doloroso- nao consigo usar a tecla shift e preferi facilitar um pouco e nao colocar acentos.

meu irmao me ligou ontem pela manha dando a boa noticia; finalmente prenderam o canalha que estava esse tempo todo foragido, pasmem, na casa/restaurante dos pais.

agora, para mim, so resta, mais uma vez, ir de volta a cama.
sem carnaval, sem ferias, sem brasilia e sem dedos por pelo menos mais um mes e meio.
possivelmente tambem sem emprego, ja que nao vou conseguir digitar que preste por muito tempo.

Anúncios

5 Respostas to “agredido mais uma vez”

  1. Ísis Says:

    Estou espantada com o completo absurdo dessa história. Como essas coisas ainda podem estar acontecendo? Não existe mais a liberdade de expressão? Não existe mais respeito? A única forma de resolver diferenças é com agressão e não com debates racionais?
    Mas não posso deixar de ter esperança, e acredito na lei e na justiça. Aqueles que cometerem atos de crueldade deverão responder por eles.
    Melhoras para você!

    Beijoss
    Ísis

  2. Ísis Says:

    Ahh, é ficção! FAIL pra mim.
    Deveria ter lido o “sobre” antes.


  3. […] dar morfina, pois isso pode ser ruim para a minha saúde. Ele só não falou nada sobre eu evitar apanhar de […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: